Associe-se
Area Restrita

Webp.net resizeimage

 O Japão nunca viu um lugar como a Harumi Flag, uma cidade com um sistema de infraestrutura de hidrogênio em grande escala.

 

Um total de 5.632 apartamentos particulares / aluguel será concluído em 2024. Uma estação de hidrogênio está prevista para ser construída perto da cidade. O trabalho de instalação de tubulações subterrâneas para fornecer hidrogênio da estação para cinco blocos residenciais já foi concluído. As tubulações serão conectadas aos geradores de pilhas a combustível de hidrogênio que serão instalados em cada bloco.

O governo, em março de 2016, anunciou seus planos de meio ambiente e sustentabilidade, afirmando "iniciativas para construir uma sociedade do hidrogênio". Ele incluía os seguintes objetivos: "dobrar a geração e utilização de energia do hidrogênio até os Jogos de Tóquio 2020" e "começar a operar um sistema de fornecimento de hidrogênio em grande escala" para a Vila Olímpica.

Para saber mais, clique AQUI

Embarcação hidrogênio

 São Paulo – A empresa ABB, multinacional especializada em tecnologias de energia e automação, desenvolveu uma solução de energia para fazer embarcações fluviais funcionarem por hidrogênio. A companhia, que tem sede em Zurique, na Suíça, criou uma solução de propulsão e energia com base em células combustíveis para um navio que trafega pelas águas do rio Ródano, que possui a nascente na França e termina na Suíça, passando por cidades como Lyon, Sion, Genebra e Valença.

A embarcação será utilizada pela sua subsidiária, a empresa Compagnie Fluviale de Transport (CFT), que tem sede na França. A iniciativa Flagships, da qual a ABB faz parte, que é financiada pela União Europeia, pretende diminuir a emissão de gases para o meio ambiente. A intenção é reduzir para 0 a emissão e fazer com que as operações marítimas no local não prejudiquem o ecossistema.

Saiba mais AQUI

Hyundai nexus

Cada engenheiro sul-coreano que toca no nome do Nexo abre um sorriso. Novo carro-chefe da marca, o crossover elétrico não usa sistema puro de baterias, nem mesmo o "plug-in" (elétricos que se carregam na tomada). Eletricidade vem das células de hidrogênio. Você abastece os três tanques com gás em postos especiais e um avançado sistema faz a combinação com oxigênio. Dessa mistura química interna, tem-se eletricidade para movimentar o motor de cerca de 160 cavalos do crossover, com 40 kgfm de torque -- potência equivalente àquela de um motor 1.5 turbo, mas com força de motor grande. Antecessor do Nexo, o Tucson HEV rendia pouco mais de 120 cv.

 Purificador de ar? Pelo "escape" sai água destilada. E o processo ainda filtra 99% da sujeira do ar usado.

 

Para mais informações, clique AQUI

parabens hidrogenio sem pavioDesde 2015, o dia 08 de outubro é o dia internacional do hidrogênio e da pilha a combustível!

A iniciativa foi criada pela Associação para Energia do Hidrogênio e Pilhas a Combustível, e foi escolhida devido ao peso atômico desse elemento ser 1,008. O dia do hidrogênio foi estabelecido para dar visibilidade às tecnologias limpas de geração e utilização de energia. 

Nós vivemos nesse início do Século XXI uma transição energética em nível global, que levará à descarbonização do sistema energético mundial. A extração, refino e utilização de combustíveis com alto teor de carbono tem pecado nos pilares social, ambiental e tecnológico. Um dos protagonistas dessa mudança estrutural é o hidrogênio. Considerado o primeiro vetor energético capaz de produzir uma economia circular de zero emissão de carbono, o hidrogênio pode ser utilizado das mais variadas formas para armazenamento e fornecimento de energia, com alta eficiência na conversão em equipamento chamados pilhas a combustível, onde os produtos da reação são a energia e vapor de água.

Por todo o mundo, iniciativas são tomadas para inserção no mercado de tecnologias que promovam o uso do hidrogênio. Uma das maiores iniciativas criadas foi o Conselho para o Hidrogênio, formado por empresas privadas internacionais de grande porte e que tem por objetivo fomentar a utilização da energia do hidrogênio e pilhas a combustível no mundo. Em 2016, estavam instalados no Japão 280.000 sistemas de geração distribuída de eletricidade em residências usando pilhas a combustível; as principais empresas automobilísticas mundiais possuem automóveis comerciais a hidrogênio; o uso de empilhadeiras industriais movidas a hidrogênio já está em uso comercial com mais de 26.000 unidades; nas Américas, na Europa e na Ásia são comercializados atualmente mais de 2000 ônibus a hidrogênio; há hoje no mundo mais de 300 estações de abastecimento de hidrogênio em funcionamento, estando uma em vias de instalação no Rio de Janeiro; a Áustria, a Suécia e a Coréia do Sul estão redirecionando sua indústria do aço para a redução direta de minério de ferro usando hidrogênio, em substituição ao alto forno; a Holanda está transformando a sua indústria química de forma a usar hidrogênio e biomassas para produzir suas matérias primas carbonosas em substituição aos derivados de petróleo e de gás natural; as próximas olimpíadas no Japão, em 2020, são anunciadas como as primeiras da era do hidrogênio. Devido a sua grande disponibilidade de água, de energias renováveis e de biomassas, o Brasil tem um grande potencial de tornar-se importante produtor mundial de hidrogênio.

 

O 1º Congresso da ABH2

Nos dias 7 e 8 de Novembro de 2019 ocorrerá o 1º Congresso da Associação Brasileira do Hidrogênio. Esse congresso terá como objetivo discutir o tema Energia do Hidrogênio, considerando que energia será o grande desafio do Século XXI e que a segurança energética dependerá essencialmente do desenvolvimento de novas fontes de energia que sirvam como alternativa às fontes usadas atualmente, para diversificar a matriz energética e garantir o desenvolvimento sustentável da economia nacional. A realização do Congresso atuará como elemento promotor da melhor capacitação cientifico-tecnológica do pais sobre a área de Energia do Hidrogênio, abordando temas como a geração e o armazenamento de energias renováveis. O Congresso abrange cientistas, pesquisadores, estudantes, empresários e agentes governamentais que atuam direta ou indiretamente com questões relacionadas à Energia. O Brasil tem um grande potencial de tornar-se fornecedor mundial de hidrogênio, como uma commodity transnacional devido as suas possibilidades de realização de eletrólise com energias limpas renováveis, hidroelétrica, eólica, solar e dos oceanos, e da sua grande disponibilidade de biomassas para produção de hidrogênio por gaseificação ou biodigestão. Esta capacitação também lhe serve para produzir hidrogênio a ser usado como regulador da intermitência das renováveis e ainda para as diferentes aplicações estacionárias, móveis e veiculares.

Para mais informações sobre o evento, clique AQUI.

 

oie gnCIySNEjtxPEstamos nos últimos dias do período para submissão de resumos do 1º Congresso da ABH2! A data limite de submissão vai até dia 31 de agosto!

Se você ainda não enviou o seu, não deixe para a última hora! Submissão AQUI

Os resumos selecionados serão convidados para publicar um artigo na Revista Matéria

Lembramos que o 1° Congresso Brasileiro da ABH2 ocorrerá nos dias 7 e 8 de novembro de 2019 no Rio de Janeiro, e terá como objetivo discutir o tema Energia do Hidrogênio. Para mais informações acesse o site do congresso.

Topo