Associe-se
Area Restrita

WhatsApp Image 2020 08 04 at 13.51.01

A AHK Rio divulgou a nona parte de suas publicações semanais da série informativa sobre a Estratégia Nacional Alemã para o hidrogênio. Confira um resumo abaixo, e a íntegra no site da AHK Rio.

Artigo 9: Plano de ação para a cooperação internacional

O comércio do hidrogênio e seus derivados é um importante fator industrial e geopolítico e, e representa uma grande contribuição para a proteção do clima de forma a promover um crescimento e desenvolvimento sustentável. As colaborações internacionais na exportação do hidrogênio são essenciais para impulsionar capacidades de geração de energias renováveis, mas que também levam a extensas questões geopolíticas que devem ser incluídas no desenvolvimento de políticas governamentais. Acompanhe as medidas envolvidas nessa questão, abaixo:

Medida 30: Estabelecimento de padrões sustentáveis confiáveis e exigentes juntamente com uma infraestrutura de qualidade para geração de eletricidade a partir de fontes de energia renováveis. Da mesma forma, desenvolvimento de regulamentos, códigos e normas europeias em várias áreas de aplicação, traçando o caminho para garantir um aumento do mercado internacional e da Alemanha durante a transição energética.

Medida 31: A nível da UE, objetiva-se investimentos em pesquisa, desenvolvimento e produção de hidrogênio verde. Toda a cadeia de valor e de uso de hidrogênio devem ser consideradas (geração, transporte, distribuição e uso final).

Medida 32: No contexto do "Acordo Verde da Europa", o Governo Alemão está comprometido em acelerar a implementação das iniciativas da UE no setor de hidrogênio. A base dessa estratégia é a elaboração de um “Livro Verde” com um rascunho sobre o conteúdo da estratégia da UE para o hidrogênio.

Medida 33: Formação de um mercado internacional de hidrogênio e parcerias de cooperação econômica e climática para gerar oportunidades de desenvolvimento tecnológico do hidrogênio.

Medida 34: Integrar o hidrogênio nas parcerias energéticas existentes e criar novas parcerias para abrir perspectivas de exportação e importação. Serão criados grupos de trabalho especializados, específicos para análise do potencial sustentável da importação de fontes de energia renováveis com base no hidrogênio e do desenvolvimento de novos mercados para as tecnologias alemãs de hidrogênio.

Medida 35: Avanço da aliança de hidrogênio entre a Alemanha e os países parceiros com as iniciativas conjuntas da UE, direcionada ao longo de toda a cadeia de valor e à criação de uma plataforma para posicionamento da Alemanha em mercados estrangeiros, a qual irá beneficiar as empresas alemãs que demandam hidrogênio verde.

Medida 36: No contexto de parcerias energéticas e cooperação multilateral como a “Parceria Internacional para o Hidrogênio e Células a Combustível” (IPHE), a “Agência Internacional de Energia Renovável” (IRENA) ou a “Agência Internacional de Energia” (AIE), serão intensificadas as atividades internacionais já em andamento. Ademais, a criação de um mapa de geração de hidrogênio verde e seus derivados ajudará futuros países fornecedores a identificar oportunidades de exportação.

Medida 37: Projetos piloto em países parceiros, incluindo os da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento devem apresentar detalhes sobre a produção e comercialização - de maneira sustentável e competitiva - de hidrogênio verde e seus derivados.

Medida 38: Com relação aos atuais exportadores de combustíveis fósseis, o Governo Federal da Alemanha intensificará o diálogo em favor de uma transição energética gradual e global, substituindo parcialmente os combustíveis fósseis por hidrogênio e aproveitando as novas oportunidades para a política energética.

Para ler o artigo na íntegra, acesse AQUI.

Topo