Associe-se
Area Restrita

H2ProIgnitis investiu, juntamente com o Bill Gates Fund, na empresa H2Pro, que desenvolve tecnologia de produção de hidrogênio verde. Essa é a terceira iniciativa de investimento da empresa para o desenvolvimento da tecnologia alternativa e sustentável. Segundo o CEO do grupo Ignitis, Darius Maikstenas, a instituição está constantemente à procura das start-ups e empresas de energia em fases iniciais de desenvolvimento e que contribuam para a descarbonização e a rápida transformação do setor

Um dos objetivos da H2Pro é a tecnologia chamada E-TAC (Electrochemical-Thermally Activated Chemical). Ela produz 30% mais hidrogênio do que a eletrólise tradicional por KWh elétrico. Tal tecnologia pode ser adotada nos setores da indústria que mais emitem CO2, como produção de cimento ou fertilizantes e refino de petróleo.

O conhecimento voltado para o uso do hidrogênio é considerado um dos componentes que viabiliza objetivos ambiciosos de utilização em larga escala energia renovável. Nesse sentido, a tecnologia de H2 está sendo apoiada por parte da UE na preparação de estratégias de desenvolvimento e aplicação. 

Para saber mais, clique AQUI

Fonte: Fuel Cells Works

Senador eua h2A empresa americana Plug Power está planejando construir cinco novas instalações de produção de combustível de hidrogênio verde nos EUA, incluindo uma instalação de produção de $290 milhões em NY, com o apoio do senador Charles Schumer. Seria uma realidade que estimularia o crescimento da economia local, a criação de novos empregos e impulsionaria a produção de H2 verde a novos patamares.

A nova instação de produção da Plug Power produziria 40 toneladas por dia de hidrogênio verde para fornecer equipamentos alimentados por pilhas a combustível e veículos, como transporte de carga e equipamentos de manuseio de logística - alguns movidos a pilhas a combustível.

Para saber mais, acesse AQUI

Fonte: Fuel Cells Works.

CNPE H2O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) busca reforçar o alinhamento entre fontes de recursos e a estratégia que estabeleça orientações sobre pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor de energia no País

A proposta de resolução orienta a priorização de pesquisa em sete temas: hidrogênio, energia nuclear, biocombustíveis, armazenamento de energia, geração termelétrica sustentável, transformação digital e minerais estratégicos.

Cada um dos temas foi proposto a partir de uma ótica flexível e abrangente, de forma a enfrentar os desafios específicos de cada temática, de acordo com suas peculiaridades. Vale como exemplo o caso do hidrogênio, que, para além do desenvolvimento tecnológico, também precisa que sejam endereçadas questões associadas à regulação e às especificações técnicas sobre produção, transporte, armazenamento e consumo desse energético.

O conceito de transição energética é associado a mudanças significativas na estrutura da matriz energética primária mundial, na direção de economias de baixo carbono. São processos complexos, em que as transformações se dão em distintos níveis e velocidades nos diferentes países e regiões, segundo suas vantagens comparativas e os recursos naturais disponíveis. O atual processo de transição energética está centrado em condicionantes como desenvolvimento sustentável, combate à mudança do clima, inovações tecnológicas, transformações industriais e o ingresso na era digital.

Para saber mais, acesse AQUI.

Fonte: Ministério de Minas e Energia do Brasil

Avions Mauboussin H2Avions Mauboussin, fabricante de aeronaves francesa está desenvolvendo a primeira geração de aeronaves híbridas movidas a hidrogênio. O objetivo é permitir a mobilidade interurbana sustentável e o acesso a áreas atualmente restritas para aeronaves convencionais, utilizando aeronaves de decolagem e aterrissagem curtas, silenciosas e de zero emissão de CO2.

Uma turbina alimentada a hidrogênio permitirá que o motor elétrico funcione e eliminará, portanto, o uso de combustíveis fósseis. A comercialização da aeronave está prevista para o final de 2024 e validará as tecnologias transferíveis para o próximo modelo, Alcyon M3c que possivelmente ficará disponível no mercado de aviação com uma oferta sustentável ecológica.

Para saber mais, acesse AQUI

Fonte: Fuel Cells Works

Enegix BRO Governo do Ceará assinou um memorando com a Enegix Energy, uma empresa australiana, para a construção de um hub de hidrogênio no Porto de Pecém. A empresa australiana investirá mais de US$ 5,4 bilhões no empreendimento, incluindo a criação de uma plata de eletrólise. A mesma comunicou em seu site que implementará e gerenciar as redes de energia elétrica em escala de serviço com energia do hidrogênio.

Durante a cerimônia de assinatura do mometando, um decreto foi acordado para estabelecer um grupo de trabalho que reuniria representantes de todas as instituições para colaborar no fortalecimento da cadeia do hidrogênio verde no Ceará.

O Ceará tem bastante interesse em desenvolver a indústria de hidrogênio, aproveitando a vantagem de possuir a infraestrutura portuária certa em uma posição geográfica ideal e um forte mercado de renováveis já em operação.

Para saber mais, acesse AQUI

Fonte: H2 Bulletin.

 

Topo