Associe-se
Area Restrita
WhatsApp Image 2020 08 04 at 13.51.01

As fontes renováveis de energia desempenham um papel importante na redução dos GEEs na atmosfera de forma a amenizar os efeitos das mudanças climáticas. Nesse sentido, a AHK Rio apoia o Brasil na transição energética de maneira segura, sustentável e economicamente viável, acreditando no papel estratégico do país para geração e fornecimento global de hidrogênio verde e de tecnologias agregadas.
A instituição fomenta uma rede de contatos intersetorial e viabiliza estudos, eventos, delegações e demais projetos na área de hidrogênio verde, como o desenvolvimento de um novo roadmap do hidrogênio no Brasil. O Brasil oferece altos potenciais para produção de hidrogênio verde em patamares de competitividade no processo da economia sustentável. Entre eles, excelentes condições climáticas e energéticas pela geração de eletricidade renovável de baixo custo a partir de energia eólica, solar, biomassa e hidroelétrica; grande número de empresas parceiras brasileiras e alemãs já atuantes no mercado, bem como o sucesso no desenvolvimento e industrialização de combustíveis por fontes renováveis.

O hidrogênio verde vem sendo amplamente incluído na matriz energética de diversos países como tecnologia chave para a descarbonização da economia. A AHK Rio, por meio de uma Aliança para o Hidrogênio Verde, lança de forma inédita no Brasil uma Série Informativa sobre a Estratégia Nacional Alemã para o Hidrogênio. A série consiste em 7 artigos que serão publicados semanalmente e, facilita o acesso ao conhecimento do setor energético proveniente do hidrogênio verde para a sociedade. Os três primeiros artigos já foram publicados! Confira um pequeno trecho de cada um abaixo e não deixe de visitar a página da AHK Rio para ler os artigos na íntegra!

 
Artigo 1: Introdução

 No intuito de alcançar as metas do Acordo de Paris, como a responsabilidade ambiental, a Alemanha está desenvolvendo alternativas tecnológicas com o uso do hidrogênio. Sob o ponto de vista do Governo Federal Alemão, apenas o hidrogênio produzido com base em energias renováveis ​​(Hidrogênio Verde) é sustentável a longo prazo. A devida ênfase dada ao hidrogênio se deve ao fato do elemento permitir o armazenamento de energia de forma flexível, ajudando no equilíbrio de oferta e demanda das fontes renováveis. Seu potencial “Power-to-X” abre novos caminhos para a descarbonização de diversos setores da economia.
 A Estratégia Nacional de Hidrogênio (NWS), alavancada pelo Governo Alemão, criou uma estrutura para promover o investimento privado na geração, no transporte e no consumo de hidrogênio em escala econômica e sustentável. Alguns setores são considerados estratégicos para a realização das metas do NWS, tais como: geração de hidrogênio; indústria; transporte; geração de calor; pesquisa, educação e inovação.
 Para a realização das metas, a Alemanha procurará fazer parcerias com outros países para abrir sistematicamente novas cadeias de geração de hidrogênio verde, através de um planejamento para futuros fornecedores, consumidores e investidores nacionais e internacionais, criando efeitos de geração de empregos na Alemanha e nos países parceiros.

 
Artigo 2: Metas e Objetivos

As metas e obejtivos criadas pela Estratégia Nacional de Hidrogênio definem os passos necessários para atingir as metas climáticas, contribuir com novas cadeias de valor na economia alemã e internacional e reforçar o desenvolvimento da cooperação em política energética.
Os 12 objetivos e metas são:

1) Assumir responsabilidade global para a redução dos gases do efeito estufa;

2) Tornar o hidrogênio competitivo no mercado;

3) Desenvolver o mercado doméstico para tecnologias de hidrogênio na Alemanha, abrindo caminho para importações;

4) Estabelecer o hidrogênio como fonte alternativa de energia;

5) Usar o hidrogênio como matéria-prima para uma indústria sustentável;

6) Implementar infraestrutura de transporte e distribuição, desenvolvendo o comércio exterior e mercados consumidores;

7) Promover a ciência e a capacitação de profissionais;

8) Acompanhar os processos de transformação através do diálogo com as partes interessadas;

9) Fortalecer a economia e garantir oportunidades de mercado global para as empresas alemãs;

10) Estabelecer mercados internacionais e parcerias para o hidrogênio;

11) Promover a cooperação global como uma oportunidade;

12) Implementar uma infraestrutura de qualidade para geração, transporte e armazenamento de hidrogênio e expandir ainda mais o seu consumo, gerando confiança de mercado.

 

Artigo 3: Setores estratégicos
Nesse artigo, envidenciam-se quais setores o governo alemão definiu como prioritários para o desenvolvimento de uma economia de hidrogênio verde que deverá suprir parte da crescente demanda ao longo das próximas décadas. São eles:

1) Produção de hidrogênio: desenvolvimento do mercado interno de forma a beneficiar a exportação através das tecnologias criadas para um consumo viável e sustentável de hidrogênio;

2) Indústria: De modo a descarbonizar setores industriais, as tecnologias, matérias-primas e processos alternativos com baixa ou nenhuma emissão de CO2 devem ser pilares desse objetivo, especialmente com o uso do hidrogênio verde;

3) Transporte: Haverá uma demanda, a longo prazo, por combustíveis limpos, os quais também podem ser produzidos através de fontes de energia baseadas em hidrogênio nos processos PtX. As pilhas a combustível e as baterias também terão uma atuação importante na área de transporte;

4) Geração de calor: A longo prazo, o hidrogênio e seus derivados podem contribuir para a descarbonização de parte desse mercado em várias maneiras. O hidrogênio oferece muitas oportunidades, por exemplo com países que possuem um alto potencial de energias renováveis ​​para a produção de PtX, seja para expandir as relações comerciais existentes ou estabelecer novas relações com exportadores de energia;

5) Pesquisa, Educação e Inovação: A indústria do hidrogênio precisa de mão de obra qualificada, tanto na Alemanha quanto no exterior, portanto, serão abertos novos caminhos para a cooperação entre educação e pesquisa. Os laboratórios vivos (Reallabor) são tidos como novos pilares de pesquisa em energia por desenvolverem inovações tecnológicas no setor de hidrogênio e permitirem o alcance da maturidade dessa ciência rapidamente.

 

Não deixe de acompanhar os próximos artigos na página da AHK Brasil, clicando AQUI! O próximo Artigo será publicado no dia 10 de agosto!

Train H2 UK

Breeze é o nome dado ao novo projeto do trem movido a hidrogênio, desenvolvido pela Eversholt Rail e Alstom. Esses trens substituirão os veículos convencionais regionais movidos a diesel no Reino Unido, e que operam em todo o país. Os primeiros trens poderão estar em serviço já em 2024, atendendo à necessidade do governo de descarbonizar a indústria ferroviária. Além disso, o novo projeto sustentará outras iniciativas e apoiará estratégias nacionais no setor do hidrogênio.

Os trens Breeze serão construídos no Widnes Transport Technology Center da Alstom. Quando este projeto estiver em produção, Widnes se tornará o centro de excelência mundial da Alstom para conversão em hidrogênio.

Quando movidos a hidrogênio verde, esses trens oferecem verdadeira mobilidade com zero emissão. Sendo a única emissão o vapor d'água. Esses veículos são ideais para serviços ferroviários regionais em rotas que atualmente não são eletrificadas. A Alstom confirma que tais trens são uma solução econômica e ecológica, já comprovada no serviço de passageiros nos trens Coradia iLint da Alstom na Alemanha. 

Para saber mais, acesse AQUI.

Sem título

A Hyundai Motor Group apresenta em seu canal do Youtube um conjunto de vídeos a respeito da história do hidrogênio e sua aplicação no automobilismo para um futuro sustentável.

Neles, é mostrada uma cronologia das descobertas do elemento e seu uso na tecnologia. São apresentadas também as novas aplicações do combustível para veículos híbridos com pilhas a combustível, com exemplos de diversas marcas, como a Mercedes-Benz, a BMW, a Toyota e, claro, a sul-coreana Hyundai. 

O Hyundai Nexo e o Hyundai H2 Xcient são os modelos de carro e de ônibus, respectivamente, da marca. O Nexo é capaz de alcançar 609 km com apenas 5 minutos de reabastecimento, exemplo de eficiência e de rendimento da pilha a combustível. Nesse contexto, a empresa está preparada para fabricar mais de 10.000 veículos elétricos com pilha a combustível até o final de 2020.

Para saber mais, clique AQUI.

Arabiasauditah2

A Air Products & Chemicals americana anunciou o projeto de construção de uma usina de hidrogênio verde na Arábia Saudita, alimentada por 4 gigawatts de energia eólica e solar, o maior do mundo até então.

A usina de US$5 bilhões será de propriedade conjunta da Air Products, ACWA Power da Arábia Saudita e Neom, uma nova mega-cidade planejada perto das fronteiras da Arábia Saudita com o Egito e a Jordânia.

A instalação concluída produzirá 650 toneladas de hidrogênio verde diariamente, o suficiente para operar cerca de 20.000 ônibus movidos a hidrogênio, segundo a Air Products. O combustível será enviado como amônia para os consumidores finais e depois convertido de volta em hidrogênio. A produção de amônia está prevista para começar em 2025.

O projeto seria um grande passo à frente na ambição da Neom de se tornar um importante centro global de energia renovável e hidrogênio verde. O país está estabelecendo Neom como uma zona econômica especial de forma a contribuir com a estratégia de economia circular através de combustíveis de baixo carbono.

Para saber mais, acesse AQUI.

WhatsApp Image 2020 06 26 at 17.52.25

A SAE BRASIL, com patrocínio da Ballard Power Systems convida as entidades de ensino superior a participarem do evento 1º Desafio SAE BRASIL - BALLARD Student H2 Challenge

Serão escolhidas 10 equipes para receberem cada uma 1 empilhamento de pilha a combustível, doadas pela Ballard Power Systems, com o intuito de serem utilizadas em uma Baja ou Formula SAE. Além disso, também terão a oportunidade de apresentar seu projeto final nas etapas presenciais durante a BW Expo 2020, de 6 a 8 de outubro na SP Expo.

O "Student H2 Challenge" é uma iniciativa pioneira que permitirá aos estudantes ter contato com a tecnologia de ponta na área do hidrogênio a partir da interação com pesquisadores da indústria nacional e internacional, além do desenvolvimento tecnológico e criativo de cada equipe. 

Para saber mais, acesse AQUI.

Topo